quinta-feira, junho 16, 2011

quem nunca errou que atire
o primeiro caderno
quem nunca amou que atire
o primeiro cachorro

quarta-feira, junho 15, 2011

o poema nem era bom

nem era um poema
era uma anotação
sobre o gato
que descia o morro

anotar como quem
faz um desenho
uma anotação qualquer
num caderno vagabundo

um texto que não merecia
consideração ou antologia

mas na sexta o gato foi morto
pelos cachorros do vizinho
e agora eu volto àquela
anotação vagabunda
aliviada por ver ainda
o gato descendo o morro


(11 de abril de 2011)


*

o michi vai longe
pela estradinha
ele desce o morro
e some de vista

o pereba foi atrás

entretanto
o cavalo branco
relincha

e dentro da chaleira
dois ovos cozinham

devem ser umas 11 horas
e eu tenho um pouco
de sono

o cavalo relincha de novo


(5 de abril de 2011)