sábado, maio 31, 2008

leitores de ana c.:

domingo, 1. de junho
21h30
programa entrelinhas
tv cultura
especial sobre os 25 anos da morte da poeta carioca
reprise: terça às 20h30

*

e no site do entrelinhas, um vídeo sobre o lançamento da inimigo rumor em são paulo.
MISSA FÚNEBRE PARA A CIDADE DE PORTO ALEGRO

é um texto do marcelo noah sobre o fim da Livraria do Globo na rua da praia, em porto alegre. recomendo a leitura. tenho um poema que fala sobre uma "livraria do bobo". bom, a livraria do bobo era essa.

sexta-feira, maio 30, 2008




que diferença faz

dizem que terence stamp
no início
proibiu a foto
na capa do single

a cena em que aparecia
todo clorofórmio e sorriso

resultou em morrissey
copo de leite e gola v
mas os músculos da face
ah não iam tão longe

dir-se-ia (dir-se-ia)
que a intolerância de stamp
ao still e ao laticínio
tiveram o que mereciam

quando o ator mudou de idéia
assinou papéis e disse: usem
a troça já estava nas rotativas

hoje é artigo
de colecionador.

quarta-feira, maio 28, 2008

Você pode ter lido muito determinados poetas, nunca ter lido outros e ser um iniciado. Você pode ter lido um ou dois e sacar o que é poesia: que a poesia é um tipo de loucura qualquer. É uma linguagem que te pira um pouco, que meio te tira do eixo.

Ana Cristina Cesar

terça-feira, maio 27, 2008



"that's how people grow up", morrissey. cristian, sabe que gostei? acho que poderia ter entrado no "ringleader of the tormentors". enfim, é morrissey. estou ouvindo sem parar. (você tinha me avisado que grudava?)

segunda-feira, maio 26, 2008

abobrinhas, não

é uma canção do itamar assumpção com a alice ruiz. ouçam aqui. parece que vamos ter que pedir um help ao repolho. né, ana? vou ali indagar umas espigas e já volto.

quarta-feira, maio 21, 2008

a fantástica fábrica de conservas de berinjela

bom, como ando comunicativa, vou contar para vocês que fiz umas conservas de berinjela. sim, para comer com torradas. fiquei tão entusiasmada que até me esqueci de almoçar. depois preparei, a título de lanchinho, uns tacos com recheio de carne de soja e tomates. lecker! bom, as tais conservas de berinjela são um hit aqui na argentina. se ficaram boas, só vou saber daqui a alguns dias. achei a receita das berenjenitas num site chamado "recetas de argentina" (para que no queden dudas!).


e agora, literatura!
este é um blog de literatura!

angélica, deixe de escrever sobre as suas gororobas e nos conte o que você está lendo. ah, pensava que vocês nunca perguntariam! comecei a ler um best-seller aí, dum grego chamado eurípides. "medéia". só largo as panelas pra ler "medéia".

é a minha novela das oito.

confesso que já comecei torcendo para que o jasão, o creonte e a mocréia da filha dele se ralem (como se diz lá em pelotas).

terça-feira, maio 20, 2008

canción popular melodramática

uma banda islandesa musicou um poema do meu amigo domeneck. dá para ouvir o resultado no myspace (com esse dá pra ouvir, eu quis dizer, claro, CORRE LÁ). de quebra, já que você está lá mesmo, ouça a versão de "mula" pelo tetine. o cd é pra quando, ric? e quando você for famoso vai continuar falando comigo?

*

cozinha popular entusiasmada

olha, eu não queria ficar falando de mim aqui, mas é que acabei de fazer uma torta de bananas, integral e tudo. a primeira de minha vida! estou muito emocionada, porque semana passada consegui fazer um dahl de lentilhas e uma sopa de ervilhas que saíram umas maravilhas. é! com isso devo dizer que praticamente não estou comendo carne. praticamente, quer dizer, fora um salaminho que comi por distração na casa de uma amiga.

peace.

sexta-feira, maio 16, 2008

If we can forget what we have done somewhat, if we can remember what we have done somewhat. Let us remember this

diário de H.D. Thoreau, 7 de julho de 1845

quinta-feira, maio 15, 2008

os cadernos de todo mundo

sim, eu tenho escrito. tenho escrito em cadernos, levo a sério a dica de kerouac: tenha cadernos secretos para seu próprio deleite. passo alguma coisa para o computador, torço o nariz e me esqueço. com sorte daqui a 6 meses abro o arquivo e acho alguma coisa interessante ali. estive relendo textos de 2006, quando "morava" na bolívia ("morar" eu já não moro faz tempo, tenho endereços para correspondência). sim, há coisas interessantes, mas teria que ordenhar os cadernos para extrair os poemas. ordenhar cadernos -- uma expressão usada pelo ginsberg, outro que adorava uma papelaria. por falar em cadernos, estou enchendo o meu atual com esboços de uma resenha sobre um livro que é um caderno. veja só. não tenho muita vontade de escrever sobre mim aqui. vivo a 5%, ok, a 15%, não aumenteis a dose. legal mesmo é o blog da minha irmã.