quinta-feira, março 31, 2005

sabedoria

quando vocês acordar meio azedo, sabe, sua um pouco pra tirar o azedo, pra ir trabalhar mais feliz, cumprimentar as pessoas.

Luiz Inácio Lula da Silva, hoje, em Araraquara.


interrrferência
intereshtadual







food for thawt


A correção é exatamente o que nós não devemos exigir da poesia. Se se trata de poesia importante, é necessariamente um distúrbio da paz. Os bons poetas jamais são bons Joes, jamais são domesticados. Ameaçam a estrutura e as pretensões de nossas vidas, pressionando-nos mais para aquilo que devemos ser do que nos tranquilizando naquilo que somos. A poesia importante provavelmente nos deixará confusos.


Jack Gilbert, em Panorama da Poesia Americana em 1964,
em Poesia como Criação (Poets on Poetry)
um homem, um pássaro, um avião



boeing



copyright the estate of zoe b, all rights reserved

quarta-feira, março 30, 2005

meus gatos

chico pata e juju e soso e chicopata e ju ju e so so e chi co pa ta e ju ju.

terça-feira, março 29, 2005

IX

no país no país no país onde os homens
são só até ao joelho
e o joelho que bom é só até à ilharga
conto os meus dias tangerinas brancas
e vejo a noite Cadillac obsceno
a rondar os meus dias tangerinas brancas
para um passeio na estrada Cadillac obsceno

e no país no país e no país país
onde as lindas lindas raparigas são só até ao pescoço
e o pescoço que bom é só até ao artelho
ao passo que o artelho, de proporções mais nobres,
chega a atingir o cérebro e as flores da cabeça,
recordo os meus amores liames indestrutíveis
e vejo uma panóplia cidadã do mundo
a dormir nos meus braços liames indestrutíveis
para que eu escreva com ela, só até à ilharga,
a grande história de amor só até ao pescoço

e no país no país que engraçado no país
onde o poeta o poeta é só até à plume
e a plume que bom é só até ao fantasma
ao passo que o fantasma - ora ai está -
não é outro senão a divina criança (prometida)
uso os meus olhos grandes bons e abertos
e vejo a noite (on ne passe pas)

diz que grandeza de alma. Honestos porque
Calafetagem por motivo de obras.
relativamente queda de água
e já agora há muito não é doutra maneira
no pais onde os homens são só até ao joelho
e o joelho que bom está tão barato


LEIAM Mário Cesariny
discurso sobre a reabilitação do real quotidiano
manual de prestidigitação
assírio e alvim
1981

segunda-feira, março 28, 2005

Isabela e Maria
(Robert Desnos)

Isabela encontra Maria no pé da escada:

"Tu não passa de uma cabeleira!" disse.
- e tu, de uma mão.
- mão é tu, omoplata.
- omoplata? pegou pesado, peitinho!
- língua! dente! púbis!
- olho!
- cílios! sovaco! rim!
- garganta!... orelha!
- orelha, eu? te enxerga, narina!
- imagina, sua gengiva decrépita!
- dedo!
- buceta!

a tradução é minha. o original pode ser lido
aqui.
a felicidade custa r$ 18 no supermercado, foi o cabernet sauvignon francês desconhecido que levei para casa. assentei-me a tomar na cozinha, fechei a porta, acendi um cigarro, abri corps et biens do desnos e li. e bebi e fumei e bebi. mãe abre a porta: que tu tá fazendo na cozinha? eu: tô lendo. e bebando e fumendo.

sábado, março 26, 2005

Loaf with me on the grass, loose the stop from your throat,
Not words, not music or rhyme I want, not custom or lecture, not even the best,
Only the lull I like, the hum of your valved voice.

I mind how once we lay such a transparent summer morning,
How you settled your head athwart my hips, and gently turned over upon me,
And parted the shirt from my bosom bone, and plunged your tongue to my bare-stripped heart,
And reached till you felt my beard, and reached till you held my feet.

(Walt Whitman, em Song of Myself)

quarta-feira, março 23, 2005

jangenética 2, allegro andante

urgenet!

*

Uhr-alte German for "age-old, ancient." It should actually read "Ur-alte." (...) The German Uhr meaning "hour" or "time" is etymologically related to English "hour," Latin "hora," etc. The prefix Ur- meaning "very old, the original" is, however, most likely derived from (her)aus, i.e." coming from." (daqui)
nascer e parecer

pairmãe


*

Web

Você quis dizer:
piramide

Sua pesquisa - pairmãe - não encontrou nenhum documento correspondente. Nenhuma página contendo "pairmãe" foi encontrada. Sugestões: - Certifique-se de que todas as palavras estejam escritas corretamente.- Tente palavras-chave diferentes.- Tente palavras-chave mais genéricas.- Tente usar menos palavras-chave.


segunda-feira, março 21, 2005

mãe

nós na lanchonete, eu 6 anos, ela 30. na frente, uma mulher nos 20. eu comia meu sanduíche quando ouvi a voz, agressiva.

- o que que foi?

minha mãe:

- nada, só estou te achando bonita.


pai

ele lavava o carro. eu da janela, 9 anos, ele 43.

- pai, o que é simplória?

- é quem faz esse tipo de pergunta.

sábado, março 19, 2005

samba

bambo
sabadão e seu leque de opções. atravessar a avenida angélica e cair na higienópolis dos judeus barbudos para um café expresso no fran's ou embrenhar-me nas ruas de santa cecIlha atrás de aventuras num sebo ou sair pra caminhar na são joão até a praça da república. e a casa numa bagunça, jurando vingança, mais caos menos caos um dia a vigilância sanitária bate lá e pede por sra. aires de freitas, a qual está escarafunchando a ducentésima prateleira do treze listras, ali na aurora. o treze listras, aliás, não recomendo, é muito caro. e os messiânicos sebos da praça da sé há muito deixam a desejar. há também os do largo de são bento, adequados ao bolso dos estudantes de direito. acho que vou passar mais um café, ouvir de novo a sarah vaughan cantar lullaby in birdland, jogar uma papelada fora, fumar uns gatos e escovar os cigarros. adoro a vagabundagem sabadal, por mim podia ser segundaterçaquartaquintasextasábadosábadosábadodomingo.

sexta-feira, março 18, 2005

404 eureca not found

o
amor
é
uma
busca
que
não
cabe
no
google.


bruna beber, minha poeta carioca favorita.
fal sa esperança?
um sargento levanta o braço
tri nta tiros no paredão

tri nta condenados
um não morreu e
fal tou bala no quartel

para marcelo noah, triunfal!

eu tenho. Posted by Hello
que diria o bandeirante se hoje visse a estátua na frente do trianon, tão cagadinha? o bandeirante para sempre saudando em pedra o masp de lina bo bardi. e o masp por sua vez tão vermelho e preto dando as costas para a bela vista e o bixiga. dali do pedestal o bandeirante vê apenas o céu e o vão. ontem um homem se empoleirou na estátua com um violino. além de tudo o bandeirante vai ter que ouvir. o bandeirante dá as costas para a rara vegetação da paulista, o que é um perigo. ninguém ousa virar a bunda assim na selva. ô fauna.

quinta-feira, março 17, 2005

jangenética

emossomos
agora tenho vista pra alameda santos de mais ou menos encantos. estou de costas para a paulista. como tem carro em são paulo. sampa é uma cidade de carros e edifícios e maremotos nas bocas-de-lobo quando diluveia. minha prosa não sabe se diz farol ou sinal ou sinaleira, nem se dobra ou vira a esquina, nem se vai pro ponto de ônibus ou pra parada. prosa urbana dos horários commerciaes. a poesia masca chiclete e pula num pé só, pedindo para entrar. cavalo de pau da métrica. sem descanso. muita responsa depender de mim enxergar encantos na alameda santos. mais um chá e hoje eu vou embora cedo.

quarta-feira, março 16, 2005

o dia começou cinza em sampa city. no prédio ao lado, engravatados citibancam. angélica freitas começa a preparar a grande banana para o mundo. a partir da alameda santos, com grande emossão, se estendendo pelos jardins & confins da zona sul morumbaica, vai vai vai banana, vai pelo estado de são paulo afora, região sudeste, sobe desce, alô para o nordeste, goodbye pra porto bacana até o uruguai. grande banana, engorda e faz crescer. yes nós temos meia semana pela frente. o dia começou molhado em sampa city, onde qualquer hora é comercial e engravatados unibancam, citibancam, itauzam, mofarrejam, renaissançam. eu quero dez toneladas de bananada e a sorte de um amor sem grandes solavancos.

terça-feira, março 15, 2005

algumas coisas aguadas

1. nêsperas não são pêras. e não esperam.
2. quero tudo, os píncaros, o fundo.
3. nenhuma alga na água. alguma espuma? nada.
4. marmelada mallarmé, ontem era sai daqui, hoje ganho sivuplê.
5. você me faz tão feliz, just add water.

segunda-feira, março 14, 2005

dancing away these dootra blues

dusting the chimney of my heart
so that santa's fat ass can pass
through and bring me YOU
for christmas
how far away december?
i'll rhumba sleep tango drool samba slumber
like a bear like a bore like an old fart
easter bunny said he'd pass
so i'm making room for santa's ass
sou toda olvidos
i am always told
passa por aqui
passa por ali
e só a última ficará
sabendo
da grande verdade:

a mulher do padre?

domingo, março 13, 2005

today I just want someone to entertain me
I'm tired of being so fierce
I'm tired of being so friendly
you don't have to be a supermodel
to do the animal thing
you don't have to be a supergenius
to open your face up and sing

somebody do something
anything soon
I know I can't be the only
whatever I am in the room
so why am I so lonely?
why am I so tired?
I need company
I need backup
I need to be inspired

(face up and sing,
ani di franco)

sexta-feira, março 11, 2005

partícolas dançam quando você não está olhando

vai? ia.
você já foi
a bah
ia?
oh boy.
já viu.

quinta-feira, março 10, 2005

se chutzpah fosse sopa, seria a anticanja de galinha.

*

regra da informática: sistemas complexos são instáveis. me lembro da minha velha professora de japonês, lá do gakkô, em poa. toda a vez que eu perguntava POR QUE a coisa era dita assim, ela me dizia: "tem que aceitar, andjierica san. tem que aceitar."

*

eu ia escrever um poema, mas xi, esqueci.

quarta-feira, março 09, 2005

flor roxa

And as I walked onThrough troubled timesMy spirit gets so downhearted sometimesSo where are the strongAnd who are the trusted?And where is the harmony?Sweet harmony.'Cause each time I feel it slippin' away, just makes me wanna cry.What's so funny 'bout peace love & understanding? OhhhhWhat's so funny 'bout peace love & understanding?

(elvis cotovelo nas costella)
ainda na sessão preguissssa,
com vocês:

O JABUGIRA

Será que pega mal
cruzar jabuti
com girassol?

Lá vai ele
devagar
andando sobre pátulas

O cascaule verde
de clorofila
se abastecendo
de sol e seiva

E algumas moscas
que vão caindo
(o jabugira solta
um gás venenoso
mais letal que o comum
chamado pá-pum)

O jabugira passa o dia
jabugirando
enquanto os bichos bicheiam
e as pessoas pessoam

A gestação do jabugira
dura uma bolha de sabão
não é um híbrido longevo:
dura um bom humor
um sim no sábado
um lençol lavado

mas o jabugira não está preocupado

(3.05.2002)
du iu iarru?

Date: Tue, 9 Jan 2001 15:49:41 -0800 (PST)
From: "Angelica Freitas"
Subject: poem
To: aaft@yahoo.com



se eu fosse parar de fazer
o que nem todo mundo aprova
eu teria mais lazer
bem quietinha na cova

do espírito depende o zelo
diria akhmatova?
mas quem quer andar de camelo
tem que sentar na corcova

terça-feira, março 08, 2005

noah matchmakers

there was a sign
i sighed and read
ideas aside i said
this can't be bad
in fact this can be
my life. i asked:
how much? he said:
it's free from a to b.
it's free from a to b.
it's free from a to b.
scripta manent

palavras que voem
feliz do vento
é você quem põe
tudo tudo em movimento

scripta manent late assim: ishcrever é manêro.
sta t

i missed you ten thousand
days five hundred hours
on that ride downhill when
you sat at the back of the
tram & i sat up front.

[don't ever leave me.]

i know
life is full of goodpeople
saying goodbye
we don't cling to each other
like a bunch of bananas
oh no, but when someone
is in a coma we do show up
and spend our $$$ on plane tickets
taxi fares. and flowers.
when in health and on fat sundays
leaving is all there is. always
somewhereelse. good jobs. bad jobs.
oh god, lousy jobs. love is always
remembered on the road
through the night (cry, cry your
eyes out.) what is it, sweet,
that keeps me moving? you sigh
and you bend and touch your
toes and it's time for bed. again.

sábado, março 05, 2005

rio

fecho os olhos
abroessorvo.

sexta-feira, março 04, 2005

coração nunca faz pausa
pra ver se encouraça
ou abre a casa

quarta-feira, março 02, 2005

muito prazer:
se eu vou ter que te engolir
cê vai ter que me beber
after snow comes slush but hush who knows

terça-feira, março 01, 2005

felicidade

nada como namorar
um poeta marginal
incendiado
nada
como um mingau de maizena
empelotado
de tanto amor acumulado
uma casinha em botafogo
um quarto uma eletrola
uma cartola

&

depois da praia sonhar
que a bossa nova voltou
pra ficar
eu você joão
girando na vitrola sem parar.


ledusha, em 'nocaute' em 'finesse e fissura'
p. 90, cantadas literárias, brasiliense, 1984